Quem Foi Jesse Livermore – o Grande Urso de Wall Street

Avatar
O maior investidor de todos os tempos.

Jesse Livermore foi o maior ícone da história de Wall Street e é considerado até hoje, um dos maiores especuladores de todos os tempos. Apesar de ter sido um investidor na bolsa de valores há mais de um século, suas estratégias de investimento estavam à frente de seu tempo.

Entrou para a história como um dos traders mais agressivos do mercado financeiro nas décadas de 20 e 30. Jesse Livermore, o Grande Urso como era conhecido, ainda continua a inspirar e influenciar uma geração inteira de investidores.

O jogo da especulação é o jogo mais fascinante do mundo. Mas não é um jogo para o estúpido, o preguiçoso mental, a pessoa de equilíbrio emocional inferior, ou o aventureiro que se enriquece rapidamente. Eles vão morrer pobres. Jesse Livermore

Quem Foi Jesse Livermore?

Se você é um trader de ações e não sabe quem foi Jesse Livermore, você desconhece a história de um dos maiores especuladores de todos os tempos.

Livermore era conhecido principalmente como um short seller da bolsa de valores, por isso o apelido de “Grande Urso”. Ele vendeu a descoberto o mercado em 1929, durante o crash da Bolsa de Valores de Nova Iorque, acumulando uma fortuna de cerca de 100 milhões de dólares na época.

Este é um resumo de alguns de seus ganhos notáveis. Houve muitos outros, mas estes são os mais expressivos;

 IdadeValores  da épocaValores atuais
 15 anos1.000 dólaresEntre 35.000 – 50.000 dólares
 27 anos1 milhão de dólares50 milhões de dólares
 52 anos100 milhões de dólares5 Bilhões de dólares

A história de Jesse Livermore

Jesse Lauriston Livermore, nasceu em 26 de julho de 1877, em Shrewsbury, Massachusetts, Estados Unidos.

Sua história, antes do sucesso, é de um garoto pobre do interior. Seu pai era fazendeiro e desejava que o pequeno Jesse seguisse seus passos e tomasse conta da fazenda.

Porém, desde novo, Livermore sempre fora um menino prodígio e vislumbrava um futuro diferente. Ele fugiu de casa aos 14 anos, com a ajuda de sua mãe, e foi trabalhar em uma corretora de valores chamada Paine Webber, na cidade de Boston, carregando apenas 5 dólares no bolso.

Na corretora, seu trabalho era escrever no quadro negro as cotações das ações. Esse ambiente aguça em Jesse Livermore um apetite para ganhar dinheiro, e começa a ficar interessado em apostas. 

Livermore tinha uma excelente memória, e sabia mentalmente a tendência do preço das ações em determinados dias. Ele também observou que os especuladores cometiam muitos erros; compravam e vendiam sem entenderem como de fato funcionava o movimento dos preços. Jesse Livermore conclui haver um padrão no mercado e iria explorá-lo.

Ele abandonou o emprego e se tornou um trader profissional, apostando em bucket shops na cidade de Boston.

Uma Bucket Shop era como um cassino, um local onde as pessoas faziam apostas sobre a direção do preço das ações negociadas em Wall Street. Era uma bolsa paralela para quem tinha pouco dinheiro. Não havia compra ou venda de ativos, era a própria Bucket Shop que fazia a contraparte das apostas. 

Ele começou a ganhar dinheiro muito rápido e fez uma fortuna de $10.000 dólares. Mas acabou chamando a atenção, e foi banido permanentemente de todas casas de apostas de Boston.

Jesse livermore bucket shops
Bucket shop em Boston – é possível “apostar” no preço das ações.

Aos 21 anos ele vai tentar a sorte em Wall Street, porém a realidade é dura e após 6 meses investindo em ações ele perde tudo e acaba falindo. Wall Street lhe ensina uma lição bem dura. Sem dinheiro para continuar vivendo em Nova Iorque, ele retorna para Boston e seu antigo trabalho.

A vontade de ser um milionário faz com que ele tenha que rever as suas habilidades como trader. Jesse Livermore junta todo o seu conhecimento sobre apostas e sobre o que aprendeu em Wall Street. Ele tem então o grande insight da sua vida, a grande ideia.

Ele se dá conta de que a maioria dos investidores apena compravam ações. Sempre se posicionavam na compra de ativos (long). Isso lhe chamou a atenção, pois sempre que ocorria uma turbulência ou crise, somente poucas pessoas conseguiam ganhar dinheiro na bolsa de valores.

A Grande Guinada – O Urso Ganha Vida.

Livermore começa a vender ações a descoberto, começa a operar vendido (short) no mercado. Esse é o motivo que lhe dará a fama de “urso” futuramente.

Em 1906 ele fez 250.000 dólares de lucro. Em 1907, aos 30 anos se torna milionário com um patrimônio de 3.000.000 de dólares e em 1929 durante a maior crise dos EUA (grande depressão) ele vende muitos ativos e consegue a proeza de fazer 100 milhões de dólares – Você consegue imaginar o tamanho da exposição que ele tinha para ganhar esse valor?

Isso o torna uma das pessoas mais influentes e respeitadas de Wall Street. Ao mesmo tempo, ele se dá conta que os movimentos dos mercados eram influenciados por ele mesmo, tamanha era a alavancagem de suas posições, ele era um “price maker“. Ele se acostumou com o fato de fazer o mercado ir para o lado que ele queria.

Regras para gerenciamento do capital

O estilo operacional de Jesse Livermore era especulativo e ele considerava o gerenciamento do dinheiro um componente chave para o sucesso. Possuía inúmeras regras que eram utilizadas em seus negócios especulativos.

” Um especulador prudente nunca discute com a fita. Os mercados nunca estão errados, as opiniões muitas vezes estão”. Jesse Livermore

Leitura de tape reading
Investidores lendo a fita de preço das ações. Por isso o termo tape reading (leitura da fita).

Regra 1 -Não perca dinheiro

“Não perca sua fatia. Um especulador sem dinheiro é como um proprietário de loja sem inventário. Dinheiro é seu inventário, sua linha de vida e seu melhor amigo. Sem dinheiro em espécie, você está fora do negócio. Não perca sua linha de crédito”.

Não há lugar na especulação para a esperança, para a adivinhação, para o medo, para a ganância, para as emoções. A fita diz a verdade.

Além disso, não se deve colocar todo o dinheiro em uma única operação. Não é do interesse de um trader abrir uma posição com um lote inteiro de uma só vez. Livermore acreditava ser necessário abrir posições através de lotes fracionados, onde você compraria seus primeiros 25% de ações em um ponto pivô e depois continuaria a adicionar mais lotes a esta posição.

Regra 2 – Sempre estabeleça um stop loss 

“Nunca perca mais do que 10% do seu investimento”

Jesse Livermore afirmou que um stop loss é uma das partes mais importantes da operação. Livermore julgava que um stop deveria ser estabelecido antes de entrar em uma negociação. Este stop deve considerar o tamanho de sua conta e a volatilidade da ação que você está negociando.

Ele utilizava um preço percentual de stop loss para sair de uma operação perdedora. Ele a chamou de regra da bucket shop, onde utilizava um stop de 10% para sair da posição. Era a margem utilizada quando ele negociava através das bucket shops.

Livermore foi um pioneiro em utilizar a técnica de stop loss, algo considerado radical naqueles dias, quando quase ninguém a utilizava.

Livermore chamava os traders que não colocam stops como, “Investidores involuntários”. Ele os descrevia como “pessoas que compram e detêm ações na esperança de que eles se recuperem. Estes traders não venderão suas ações por nenhum motivo até que suas metas sejam atingidas”.

Jesse foi um mestre em determinar quando uma ação não estava se comportando como ele esperava e muitas vezes vendia antes que o preço chegasse na margem de 10%. Essa regra era baseada na premissa de que o máximo que estava preparado para perder em qualquer negócio eram 10%.

Regra 3 -Mantenha dinheiro em reserva

Jesse Livermore estabeleceu o princípio básico de que um especulador deve fazer tudo o que estiver ao seu alcance para permanecer no jogo especulativo. Uma das táticas era negociar apenas as melhores oportunidades.

Usava o pôquer como uma analogia e não acreditava em jogar todas as mãos, a menos que estivesse confiante que iria ganhar. A preservação do capital era de suma importância.

Ganhei mais dinheiro sentado do que alguma vez ganhei por estar certo“.

Era preciso ter paciência e reserva em dinheiro, do contrário, quando uma boa oportunidade aparecesse, não haveria capital suficiente para realizar a negociação.

Regra 4 – Deixe a posição cavalgar

Você precisa de um bom motivo para comprar uma ação e de um bom motivo para vender.

“Mantenha os traders vencedores – desde que as ações estejam agindo corretamente, não tenha pressa em ter lucro. Você deve saber que está certo em seu julgamento básico, ou você não terá nenhum lucro”.

Ele acreditava que se você estivesse certo em sua posição e nada sobre a operação lhe indicasse o contrário, você deveria manter essa operação o máximo de tempo possível. Se um trader fosse capaz de sair de operações perdedoras com perdas pequenas e deixar operações vencedoras “correrem“, acabaria sendo bem-sucedido no jogo.

Ele só sairia de uma operação se o comportamento das ações ou commodities se desviasse de sua ação normal.

Ele chamava os lucros em posições abertas de “dinheiro do mercado de ações” e basicamente só se preocupou com os lucros de operações fechadas, pois para ele isto era lucro real – dinheiro no banco.

Regra 5 – Transforme os lucros em dinheiro

Jesse Livermore julgava que, após uma grande vitória, você deveria pegar 50% do lucro e transformá-lo em dinheiro. Este dinheiro deveria ser colocado de lado no banco, guardado em reserva, ou trancado em um cofre.

O maior investidor de todos os tempos.
As maiores lições deixadas por Jesse Livermore.

Lições de Jesse Livermore 

Vale ressaltar que Livermore idealizou suas regras e lições ao longo de vários anos, enquanto aprendia (por tentativa e erro) o que funcionava nos mercados:

O mercado nunca é óbvio, é feito para enganar as pessoas na maior parte do tempo.

Investir não é para amadores. Os mercados nunca estão errados; as opiniões sim. O mercado vai para onde e quando quiser. O pior erro possível para um investidor é querer “peitar o mercado”, julgar que ele está certo e o mercado errado. Deixe o mercado mostrar o seu caminho, pois ele é soberano.

Siga a tendência – não confie na sua própria opinião, até o mercado confirmar o que você estava imaginando.

Trata do viés que sempre carregamos, tentando antecipar um movimento do mercado que ainda não aconteceu. Estamos sempre cheios de razão. Por exemplo: hoje só vou comprar ou só vou vender. Não confie cegamente em suas análises até que o mercado lhe dê condições para isso.

Não ouça “dicas” – Acredite no que você vê. Se você seguir a dica de alguém para entrar no mercado, você será dependente de uma para sair também.

Isso é bem atual. Hoje temos salas operacionais no YouTube, Facebook, WhatsApp e por aí vai. Temos inúmeros “gênios” oferecendo dicas operacionais o tempo todo. O investidor tem que ter seu próprio entendimento do que está acontecendo no mercado.

O dinheiro de verdade ganho na especulação sempre foi com posições que apresentaram lucro logo de início.

A bolsa de valores é composta de perdas e ganhos. Você entrou em uma operação e o mercado não indo para o seu lado, saia logo com uma pequena perda. A capacidade de reagir e realizar o pequeno prejuízo é o que faz o grande investidor. Raramente uma posição perdedora acaba por se transformar em uma posição vencedora.

Nunca venda uma ação só porque ela parece ter subido demais.

Essa é uma das grandes ilusões do mercado – julgar que uma ação já subiu demais e que agora precisar cair, ou acreditar que já caiu muito e agora precisa subir. O que move o preço das ações, são inúmeros fatores que muitas vezes são difíceis de serem percebidos.

Nunca faça médias com prejuízos.

Preço médio (martingale) em operações perdedoras é um claro sinal para grandes perdas, principalmente em vendas. Prejuízo é sinal para realizar quanto antes a operação e assim obter um prejuízo pequeno.

Não é bom ficar curioso demais acerca das razões por trás dos movimentos dos preços.

As pessoas adoram explicar o movimento dos preços do mercado. O correto é reagir aos movimentos. Isso é um derivativo da ideia de que você NUNCA vai adivinhar o futuro. Para se obter lucro na bolsa, é necessário exercer com maestria o seu plano de trading.

anotações de Jesse Livermore
Anotações e gráfico desenhado por Livermore.

Grandes Traders da História

JESSE LIVERMORE – TRADER RICO QUE FICOU POBRE

Jesse Livermore:do sucesso à falência e ao suicídio

Ao longo de sua vida ele conquistou e perdeu fortunas milionárias quatro vezes. Após a crise de 1929, o Banco Central Americano interage no mercado financeiro. As regras para alavancagem mudam e as regras do mercado também.

Como Operar no Mercado Financeiro por Jesse Livermore

Livermore começa a ficar frustrado e acaba fazendo muitas operações erradas. Entre 1930 e 1940 ele perde cerca de 95% da sua fortuna e entra em depressão, pois não conseguia “enxergar” o mercado como antes.

Após duas separações, várias falências e colapsos nervosos,  em 28 de novembro de 1940 ele cometeu suicídio atirando contra si mesmo utilizando uma pistola Colt.

Antes de sua morte, porém, Livermore deixaria seu legado de estratégias em um livro chamado “How to Trade in Stocks” ou Como Operar na Bolsa de Valores. O livro foi escrito em conjunto com R. Wyckoff que criou um modelo de teoria para explicar o movimento dos mercados baseado em preço e volume à época de Charles Dow.

Essa obra contém dicas que continuam atuais, permitindo que muitos investidores possam ainda aprender com ele.

Quem foi Jesse Livermore
A última foto de Jesse Livermore registrada, no dia 27 de novembro de 1940. Livermore tinha 63 anos quando se suicidou no dia seguinte.

Na época do lançamento, esse livro não teve apelo do público e quase passou despercebido. Hoje, ele é considerado um clássico da literatura de investimentos por abordar a psicologia, filosofia e conceitos sólidos sobre o mercado de ações e commodities.

 

Artigo Anterior
livro os axiomas de Zurique Max Gunther

Axiomas de Zurique – Os Conselhos Dos Banqueiros Suíços

Próximo Artigo
O que é o DAX-30

DAX: o Índice de Ações da Bolsa de Valores da Alemanha

Artigos Relacionados