As 10 Regras de Ouro da Mesada – Ensinando o Valor do Dinheiro Para Seus filhos em 2021

Avatar
regras para mesada

Muitos pais se perguntam quando devem começar a dar mesada, qual o valor a ser dado à criança e qual é a periodicidade adequada. Alguns pais se questionam até mesmo se devem, de fato, dar mesada. Você deve estipular quando e como dar dinheiro aos seus filhos, crie uma regra de mesada.

Regras da Mesada – Como Colocar em Prática

Eu não tenho dúvida alguma: sim, a mesada é imprescindível para o desenvolvimento pessoal da criança e até mesmo como cidadão. E vocês compreenderão isso logo mais.

O que é mesada e para que serve?

A mesada é a melhor ferramenta que existe para ajudar a criança e o jovem a administrar o seu dinheiro. A mesada, quando corretamente introduzida na rotina da criança, vai servir para que ela perceba que os recursos são finitos e que precisam saber fazer boas escolhas.

 Jovens que não tiveram mesada apresentam mais dificuldades em lidar com seus salários no momento em que arranjam um estágio ou trabalho. Não dar mesada é não incentivar a responsabilidade e a autonomia.

Existem questões que devem ser pensadas e combinadas entre o pai e a mãe antes de começarem a dar mesada ao filho. Pense mesmo e esteja bem acertado com seu cônjuge porque cada regra é parte de um rico aprendizado, OK? Então vamos lá:

Regras da Mesada

As 10 Regras de Ouro da Mesada

  1. Periodicidade:

Qual a melhor idade para dar mesada?

Para cada faixa etária existe uma periodicidade mais indicada. Esteja ciente que a noção de tempo é algo de difícil compreensão para as crianças menores, e tudo parece ser uma eternidade para eles. Minha sugestão é a seguinte:

  • Crianças de 3 até 7 anos: semanal
  • Crianças de 8 até 11 anos: quinzenal
  • Crianças e jovens a partir de 12 anos: mensal

Após definida a periodicidade, os pais deverão cumprir. Não atrase e não adiante valores.

2. Valor:

O valor da mesada deve ser definido conforme as condições financeiras da família, a idade da criança e quais desejos ela deverá cobrir. A mesada não deve dar total liberdade financeira para a criança e jovem, mas deve encorajá-la a procurar atender alguns simples desejos de consumo.

Aqui vale a mesma regra da periodicidade quanto ao cumprimento do acordo.

3. Necessidades e desejos:

A mesada não deve ser utilizada para que a criança compre o lanche da escola, por exemplo. Comer é necessidade, e deve ser suprida pelos pais. Já imaginou se seu filho guardar o dinheiro para comprar um brinquedo e deixar de lanchar durante um mês inteiro?

E eventualmente um chocolate após o lanche? Aí estamos falando de desejo, o que poderá ser plenamente atendido pela mesada da criança.

4. Empréstimos:

regras para mesada dos filhos

Evite ceder aos apelos dos pequenos: não dê empréstimos. O empréstimo, que na realidade não será retornado (na linguagem dos economistas é chamado de empréstimo a fundo perdido), vai desvalorizar o ritual da mesada e eles manterão a crença de que os pais sempre poderão socorrê-los e que não há limites para o dinheiro. Hoje o dinheiro vem dos pais, amanhã virá dos bancos…

5. Monte um orçamento e acompanhe:

Incentive-os a separar o dinheiro em “cofrinhos”: um “cofrinho” para os doces, um “cofrinho” para o álbum de figurinhas, um “cofrinho” para a poupança, e assim por diante. Mostre para a criança a importância de anotar seus gastos – data em que gastou e em que o dinheiro foi gasto. Isso a ajudará a visualizar as suas conquistas e compreender para onde o dinheiro foi.

6. Poupança:

A criança DEVE poupar parte da mesada. Não é uma opção para ela gastar tudo. Pergunto a você: ela escolheu a escola onde ela estuda? Espero que não. Uma decisão assim deve ser responsabilidade dos pais e é muito importante para o futuro da criança. Para poupar vale o mesmo entendimento.

Quanto poupar? Entre 10% e 20%. Por isso a importância de montar um orçamento, separar a mesada em cofrinhos para finalidades diferentes e você acompanhar (lembra da Regra 5? Montar um Orçamento e Acompanhar?)

7. A mesada é uma ferramenta para a vida:

É bom dar mesada para os filhos?

Que fique claro que mesada não é apenas uma ferramenta para a educação e planejamento financeiro. Ensine seus filhos a fazerem cálculos, ainda que básicos, para compreenderem quanto devem poupar para a conquista de algo que querem.

Isso os ensinará também a não gastarem toda a mesada no início do período.  Veja que a mesada é um meio de incentivar a responsabilidade, a organização, a autonomia, a consciência, desenvolver a autoestima e a generosidade, entre muitas outras habilidades, competências e comportamentos que desejamos para eles.

regras para mesada8. Mesada não é recompensa:

A mesada não deve ser utilizada para pagar por um bom comportamento, não deve ser utilizada para recompensar algo que é um dever das crianças e adolescentes, como, por exemplo, arrumarem seus quartos, e não deve ser recompensa por uma gentileza feita, como, por exemplo, carregar as sacolas de compra do supermercado. Não crie pequenos mercenários.

9. Mesada não é punição:

Assim como não deve ser associada à recompensa, a mesada também não deve ser associada à aplicação de punição aos filhos. Não faça descontos na mesada se a criança não se comportar ou se não cumprir seus deveres. Utilize os mecanismos corretos para fazer seu filho entender como deve se comportar e agir.

Se você efetuar descontos na mesada como mecanismos de punição, seu filho interpretará que o dinheiro poderá ser utilizado como mecanismo de controle emocional!

10. Mesada: convite para participação do jovem no orçamento familiar

Aqui reforçamos que a mesada é um poderoso instrumento de educação, também da financeira. Com o passar do tempo e com a maturidade do jovem, convide-o a participar da elaboração e realização do orçamento da família. Além de se sentir valorizado, ele terá mais consciência sobre as receitas e despesas da família e, com sua participação, será mais comprometido com o equilíbrio das contas da casa.

Como Iniciar Seu Filho nas Finanças

Gostou das dicas e que saber mais sobre o assunto?

Confira o vídeo do canal Finanças Femininas que trata mais sobre o assunto.

Perguntas Frequentes

É uma boa ideia dar a mesada para uma criança?

Se a mesada estiver vinculada a tarefas domésticas, as crianças aprendem a relação entre trabalho e salário. Usar uma mesada como incentivo motiva a criança a fazer suas tarefas. Se você usar uma mesada para recompensar seus filhos por boas notas, isso pode ajudá-los a entrar em uma faculdade melhor ou até mesmo receber bolsas de estudo.

Com que idade começar a dar mesada?

Apresente a mesada quando acreditar que seu filho esteja pronto. Em geral, é por volta dos 5 ou 6 anos de idade. A idade diferirá para cada criança, portanto não force a questão se ele não estiver pronto. Deixar as crianças administrarem uma mesada ensina-os a pensar em termos de escolhas, alternativas e consequências.

Como introduzir a mesada para uma criança?

Dê a seu filho uma quantia fixa de dinheiro a cada semana como mesada. Isto não deve estar ligado a nenhuma tarefa ou trabalho. Deixe claro para eles que, como parte da família, eles devem fazer certas tarefas diárias como arrumar a cama, colocar a louça na pia e organizar seus brinquedos.

Artigo Anterior
Análise Técnica e Fundamentalista

Como combinar Análise Técnica e Fundamentalista

Próximo Artigo
o que é margem de risco ou manejo de risco

Como trabalhar com margem de risco?